segunda-feira, 28 de setembro de 2009

As diferenças ao se comunicar


Na Comunicação Interna é muito comum o envio de comunicados a todos os colaboradores de uma empresa com informações que podem alterar a sua rotina dentro da organização. Contudo, há temas que necessitam um cuidado e uma atenção especial na hora de divulgação. Questões que envolvem a saúde são de extrema importância para todo o público interno e precisa ser divulgado de forma clara, objetiva e, ainda, conter informações sobre as políticas que a empresa irá adotar sobre o caso, ou esclarecer como o funcionário deve se portar diante de tal fato (o que fazer).

Recentemente, na empresa que trabalho, um comunicado sobre a gripa A (H1N1) foi elaborado a fim de informar os funcionários, instruí-los e tentar conter os boatos. Para isso, enviamos primeiramente, um comunicado para os gerentes e coordenadores de áreas, informando sobre o envio do comunicado, com informações sobre a gripe, dados numéricos, instruções quanto ao contágio e prevenção e medidas a serem adotadas em caso de suspeita da doença. Horas depois, enviamos comunicado aos demais colaboradores, com informações similares, com menos detalhes, mas com informações pertinentes e de igual relevância. Ao final dos dois comunicados incluímos o site do Ministério da Saúde, onde os colaboradores poderiam tirar dúvidas e obter maiores informações.

O que percebemos com isso, é que a comunicação foi muito eficaz, primeiro porque nutrimos o nosso gerente/ coordenador com informações completas, que poderiam ser repassadas aos colaboradores em caso de dúvidas. Ou seja, a Comunicação Interna preparou seus líderes para uma eventual situação. Não deixamos de informar nossos funcionários, mas mantivermos uma comunicação sem alarmar mais o caso. E ainda colocamos a disposição um meio para o funcionário buscar informações caso necessita-se. Constata-se então, a importância de elaborar uma comunicação interna dirigida, com linguagem apropriada e focada no público alvo. A Comunicação Interna deve estar atenta a estas questões para obter resultados positivos em suas ações. São medidas como estas que fazem diferença na hora de se comunicar, seja com a liderança, ou com os colaboradores.

Obs: Como material de complemento, entregamos a todos os funcionário um folheto explicativo sobre o vírus, formas de contágio e sintomas e outras informações.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

“As pessoas se ligam aos líderes. Elas não se afastam dos seus mentores”

Entrevista com John Kotter

A Revista Comunicação 360° publicou uma entrevista com uma das maiores autoridades mundiais em liderança e mudança, John Kotter, professor da Harvard Business School, considerado pela Business Week o maior Guru da Liderança da América, com base em uma pesquisa com 504 empresas, autor de 17 livros e referência mundial no assunto.
A entrevista aborda importantes temas que falam sobre liderança, inovação e clima organizacional. Vale a pena conferir!

Comunicação 360º - Que habilidades de comunicação um líder precisa ter?
John Kotter: Primeiro: não se trata de habilidade, mas de um comportamento, que é se comunicar mais. É impressionante como algumas pessoas simplesmente não se comunicam. Em segundo lugar está uma considerável capacidade de falar de forma clara e simples sobre jargões complicados. O líder torna as discussões de hoje fáceis de entender por todos. Ter ceiro: ele não fala apenas do lado analítico, cerebral; ele fala de coração. Muitas pessoas têm medo de fazê-lo. Bons líderes tendem a não ter esse medo. Quarto: grandes líderes conhecem o poder de uma boa história, de uma narrativa e das metáforas. Elas são diferentes, mas servem aos mesmos propósitos. E ajudam as pessoas a entender algo complexo de uma forma muito concreta.

Comunicação 360º - De que forma a comunicação do líder pode unir o time e construir um clima organizacional saudável?
J. K: O líder pode ajudar a equipe a acreditar em algo, a dividir objetivos. Isso certamente o ajudará a unir a equipe. Se ele ou ela realiza várias práticas que comentamos 턍 comunicar-se mais, infor- mar às pessoas o que está acontecendo, e comunicando-se de uma forma que não os deixem se sentir menores, ocorre uma unificação que envolve a comunicação com visões que tenham sentido e metas em que as pessoas acreditem.

Comunicação 360º - Como o líder deve exercer uma comunicação eficiente e contribuir para a retenção de talentos na companhia?
J. K: Há várias estratégias, incluindo a do comprometimento, pois as pessoas que gostam da empresa acreditam no que estão fazendo, gostam dos chefes, consideram esses fatores além do salário. Elas têm compromisso com os colegas. Tudo isso reduz o turn over. E bons líderes ajudam a consolidar essa estratégia. Fazem o trabalho ter mais sentido, ser mais atrativo e divertido. Levam as pessoas a se sentirem parte da empresa e não apenas trabalhadores independentes, que atuam de maneira isolada e facilmente mudariam de emprego por uma oferta mais atraente. Os líderes são muito sofisticados nesse papel porque, por definição, as pessoas se ligam a eles. Elas não se afastam dos seus mentores.

Comunicação 360º - Que tipo de apoio a área de Comunicação deve oferecer ao trabalho do líder orientações, treinamentos, desenvolvimento de produtos?
J. K: Quanto mais a Comunicação entende o que um real líder está tentando fazer e quanto mais entende as técnicas que os líderes usam, melhor pode reproduzi-las nos produtos da empresa. A revista institucional também pode falar de um jeito simples e claro, como os grandes líderes. Mas a comunicação institucional deve ser verdadeira e, assim como o líder, jamais diminuir as pessoas, seja em revistas, informações veiculadas pela internet, treinamentos ou meios afins. Podemos valorizar um líder reproduzindo os recursos, os truques dele na comunicação, como, por exemplo, usar o face a face. Podemos usar os mesmos princípios básicos no programa de comunicação.

Comunicação 360º - Então a comunicação deve aprender com o líder?
J. K: Certamente.

Comunicação 360º - Inovação é a palavra do momento. O que as empresas devem fazer com aqueles que não são inovadores, mas são bons profissionais?
J. K: Sugiro a todos que sejam flexíveis e reconheçam quando mudar, de forma a lidar com um mundo em mutação. Não é preciso necessariamente inventar algo novo, mas pegar emprestado algo que está do lado de fora. A questão é que há certas funções nas empresas em que a inovação fala mais alto. Se você é um auditor, há uma série de regras em torno dizendo como você deve fazer seu trabalho. São amarras que não deixam muito espaço para a inovação. Se você é profissional de pesquisa, todo seu trabalho é dentro das leis da física e as inovações são o padrão de sua atividade. Então, em alguns trabalhos faz mais sentido promover novas ações, de novas maneiras, que em outros.

Comunicação 360º - Trabalhar com as emoções da equipe seria um caminho para despertar seu potencial criativo e deixá-la mais satisfeita?
J. K: Sim!

Comunicação 360º - Como o líder pode usar a comunicação para desenvolver o sentido de urgência e contagiar as equipes com esse espírito?
J. K: Há várias formas de os líderes se comunicarem para criar um real senso de urgência, útil em um mundo onde há turbulência e tudo muda rapidamente. Uma é comunicando o seu próprio real senso de urgência, demonstrando seu desejo real de fazer algo acontecer hoje, tirando proveito das oportunidades ou até das ameaças. Esse senso de urgência dá às pessoas uma perspectiva de que o mundo está cheio de oportunidades e ameaças, dando a elas a determinação de fazer algo, explorar as oportunidades e evitar as ameaças, todo dia. As pessoas podem comunicar isso às outras dando o exemplo, falando, agindo dessa forma. Uma das formas de criar a urgência é trazer a realidade externa para as empresas. E isso não precisa ser feito pelo líder, mas por qualquer pessoa.


Para saber mais informações sobre John Kotter: http://www.johnkotter.com/

(Fonte: Revista Comunicação 360° - Edição número 10 - Dezembro de 2008)

terça-feira, 15 de setembro de 2009

O segredo de sucesso de Steve Jobs

Todo mundo já ouviu falar nele. Steve Jobs é uma das grandes figuras da atualidade e atrai fãs, admiradores, seguidores, aspirantes, por onde passa. Mas afinal, qual é o segredo de seu sucesso?

Que ele é dono de uma das marcas mais valiosas deste século, a Apple, não é novidade. Mas afinal, como ele chegou lá?

Steve Jobs é um líder nato. Dentro e fora de sua empresa ele é citado como uma referência nos mais diversos temas, desde motivação, à criatividade, irreverência, inovação. Aliado á estas características está a garra de uma pessoa que não teve medo de recomeçar após ser demitido da empresa que ele próprio criou, criou mais duas empresas e depois deixou o orgulho de lado e aceitou voltar à Apple, sendo responsável por tirar a empresa do buraco e transformá-la em um dos maiores cases de sucesso de todos os tempos.

Tudo isto porque ele acredita que nada na vida é a toa, e de toda experiência pode-se tirar algo bom e útil.

Quem já viu Steve Jobs apresentando seus novos produtos ao vivo, assistiu a um verdadeiro show e pôde ver a força de sua presença. Jobs além de toda sua astúcia, inteligência e senso de oportunidade, é extremamente carismático, humano, estusiasmado e extremamente apaixonado pelo que faz, o que é uma das melhores coisas que um líder deve ter, pois sua vontade e crédito no que está fazendo contagia quem está por perto, seja seus funcionários que se sentirão muito mais motivados para fazer um trabalho melhor e que sua referência, seu líder, é uma pessoa acessível, com quem podem contar, seja com seus clientes, parceiros, investidores, que sentirão firmeza e confiança para fechar um negócio, comprar um produto.


Confiram um vídeo muito interessante sobre um especialista que analisa as apresentações de Jobs: http://www.youtube.com/watch?v=2-ntLGOyHw4&feature=fvst


Steve Jobs é um exemplo de sucesso e de como um verdadeiro líder soube usar suas qualidades de maneira positiva para fazer história!!

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Resultado da promoção

A equipe do "Comunica líder" agradece a todos que participaram da promoção.

Ficamos muito satisfeitos com as respostas, porém o comentário escolhido foi o do partipante Gabriel:
"Sem dúvida Heitor tinha muito mais espírito de liderança. Aquiles de fato inspirava as pessoas por sua genialidade nos campos de batalha, mas ser bom no que faz não torna a pessoa um líder. Heitor além de excelente combatente, pensava em seu povo e se preocupava com eles. Essa característica transmitia confiança e o tornava um líder de verdade.."

Parabéns Gabriel!!
obrigado a todos mais uma vez
Comunica Líder

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Veja como é fácil participar! Você já assistiu ao filme Tróia?
O filme tem 2 grandes líderes, Aquiles e Heitor. Escolha o seu preferido e comente em uma frase porque ele era um exemplo de liderança diante seu exército!
Boa sorte!

sábado, 15 de agosto de 2009

Mas o que tudo isso tem a ver com Comunicação Interna?!

Já foi publicado neste blog diversos textos sobre liderança, dicas de palestras, artigos de revistas. Mas qual a conexão entre liderança e comunicação interna?! Bom, acredito que tudo! Bom, vou explicar um pouco mais desse meu ponto de vista um pouco drástico!
A comunicação interna, dentro de uma organização, não existe apenas para enviar comunicados informando sobre os acontecimentos da empresa, tão pouco escrever as matérias quinzenais do Jornal Mural ou dos demais veículos de comunicação. Isso também, é claro, afinal tudo está alinhado, direcionado a cumprir o objetivo de manter a estratégia de comunicação organizacional. Mas a comunicação Interna possui um papel maior. Se bem arquitetada e com espaço para trabalhar dentro da empresa, acredito que o trabalho pode render muitos resultados positivos. E para obter esses resultados, a CI precisa trabalhar com os líderes, pois um dos caminhos que a comunicação precisa estar é o vertical, onde as informações são dadas de cima para baixo. Ou seja, os líderes informam seus colaboradores de forma a distribuir as tarefas e criar vínculos com os mesmo. Não basta delegar, precisa ter diálogo aberto. Incentivar o feedback entre os funcionários e os líderes. E é nesse ponto que o Comunicado também trabalha; auxilia o líder a criar, manter este canal aberto, gera oportunidades para que haja interação. O ambiente de trabalho se torna mais harmônico e produtivo.
A comunicação Interna possui um trabalho amplo, com muitas atividades para manter o público interno da organização alinhado e motivado com os interesses da empresa, e ainda garante que o relacionamento interno seja o melhor possível para obter resultados positivos para a empresa e para o bem estar do seu colaborador, seja ele líder ou não.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Diferença entre ser chefe e ser líder

Você sabe a diferença entre ser chefe e ser líder? Você acha que existe diferença?
Nesse vídeo do youtube o Prof. Maurílio Lubeno aponta as principais diferenças entre os dois.
Ele diz que o chefe dirige os funcionários enquanto o líder inspira as pessoas, diz também que o líder mostra que todos os funcionários de uma Organização fazem parte “do mesmo barco”. Maurílio coloca que o chefe passa medo às pessoas a sua volta, ao contrário do líder que transmite confiança.
E você, o que acha? Existe realmente diferença entre eles?
Vale a pena conferir o vídeo abaixo

video

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Liderança e engajamento

As pessoas tendem a se identificar cada vez menos com uma organização específica com o passar dos tempos. Ela pensam mais como profissionais independentes e sabem que podem evoluir com facilidade proporcionalmente ao seu talento no mercado, quando não se sentem felizes onde estão. A lealdade será cada vez mais à própria carreira. E às causas nas quais acredita. Não mais ao chefe nem à empresa como no passado.

Neste caso, um líder eficaz, precisará oferecer causas, em vez de apenas metas e tarefas. Precisará criar um clima de motivação ao deixar claro o significado que transcende a tarefa, o trabalho das pessoas que o cercam em seu ambiente de profissional. Trata-se de ir além de metas e objetivos para serem atingidos no ano em curso.

O papel do líder eficaz será o de estimular as pessoas a sentirem que fazem parte de algo nobre, muito além da simples troca do trabalho por remuneração. Neste ponto é fundamental o uso correto da comunicação para o engajamento dos funcionários a causa da organização.

O líder eficaz oferece às pessoas aquilo que mais desejam: uma bandeira, uma razão para suas vidas. Esclarece como objetivos e metas de curto prazo são fundamentais para a causa comum. Parte do princípio de que as pessoas comprometem-se emocionalmente com objetivos e metas quando entendem o porquê das ações. Acredita que as pessoas estão dispostas a oferecer o melhor de si e até mesmo a fazer sacrifícios, desde que conheçam a Causa, o Porquê, o Rumo, a Razão de Ser do seu cotidiano.

Quando a comunicação contínua é aliada a atuação de um líder, ela favorece a criação de um clima favorável ao engajamento do corpo de funcionários aos objetivos da organização.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Dois lados da história: é importante saber fazer e aceitar correções no trabalho

Você se esforça para fazer o trabalho, demora dias para terminá-lo, acha que está perfeito, mas, ao final, é corrigido. Como você age diante dessa situação?Se você se incomoda frequentemente com as correções que são feitas em seu trabalho, saiba que isso é sinal de imaturidade. Agora, se aceita essas correções, saiba que não é sinal de fraqueza."Submissão é a disposição para aceitar a liderança daqueles que são responsáveis profissionalmente por liderar nossa vida. Algumas pessoas entendem que a liderança significa força e que a submissão implica fraqueza. Porém, a verdadeira submissão é a evidência de flexibilidade, de confiança e de humildade. É a qualidade dos campeões e o portão para a promoção", avaliou a headhunter e diretora executiva da Catho Amazonas, Paula Pedrosa.De acordo com ela, os profissionais devem perguntar aos líderes, rotineiramente, quais mudanças recomendariam que fizessem nas tarefas diárias. Assim, no lugar de abrir espaço para correções, eles estariam aumentando o nível de excelência de seu trabalho.O outro ladoMuitas vezes, é difícil diferenciar correção de crítica. Além disso, é mais fácil receber a correção de um mentor ou de um amigo leal. Por outro lado, é difícil aceitar a correção de um crítico ou de uma pessoa com a qual não se tem intimidade.Por esses motivos é que as pessoas também tem de ter cuidado ao fazer correções. "Seja sensível sobre o momento de compartilhar suas observações com seu colega. Quando as pessoas têm dias difíceis no escritório, espere, pacientemente, a hora apropriada para falar sobre as mudanças", recomendou Paula.A headhunter contou que existem pessoas que aceitam as correções, e que mudam com alegria. Outras, por sua vez, se frustram com as mínimas correções, mesmo que sejam valiosas. O resultado é que a liderança pode acabar por limitar as responsabilidades destas, o que as mantêm em um nível mais baixo na vida profissional."Infelizmente, elas nunca vão provar a recompensa da grandeza máxima nem a experiência de ter prosperidade. Correções aceleram a promoção, a provisão e a liderança em sua vida. Aceite isso, deseje isso. O sucesso em sua vida profissional depende da habilidade em aceitar a correção. Suas falhas não irão, necessariamente, desqualificá-lo. Mas sua atitude pode", finalizou.

Por Flávia Furlan Nunes - InfoMoney

terça-feira, 9 de junho de 2009

Liderar é inventar o futuro

Segue uma sugestão de leitura sobre liderança, publicada na Revista Exame (20/5/2009). Abaixo alguns trechos, mas vale a pena a leitura da matéria na íntegra pelo site:
http://portalexame.abril.com.br/revista/exame/edicoes/0943/gestao/liderar-inventar-futuro-470110.html

Liderar é inventar o futuro
Qual a sua definição de liderança? (Pat Campbell, Belfast, Irlanda do Norte)

(...) Esse é o tipo de pergunta que se deve fazer sempre - e hoje mais do que nunca. As pessoas em todo o mundo estão confusas, assustadas e revoltadas. (...) Elas estão se perguntando - assim como você, ao que parece - que tipo de liderança é necessária para nos tirar da confusão em que nos encontramos, em termos não só de governo como também de empresas. (...)

... o que é liderança em tais circunstâncias? Liderança é o que sempre foi, só que agora os líderes estão a pleno vapor. Eles têm de transpirar energia positiva, definir a visão da empresa, montar equipes competentes, premiar, decidir, inovar, executar. Certas coisas não mudam nunca.

Contudo, se você estiver à frente de uma equipe, divisão ou empresa neste momento, há um aspecto característico da liderança que você não pode e não deve negligenciar, apesar de toda a loucura e de toda a confusão hoje predominantes: inventar o futuro de sua empresa.
É papel do líder administrar pessoas, gerir vendas e custos para cumprir os compromissos financeiros imediatos e, ao mesmo tempo, investir em projetos futuros capazes de identificar as tendências do mercado e garantir o funcionamento da empresa lá na frente. O paradoxo essencial da liderança exige que os executivos comam e sonhem ao mesmo tempo.
(...) Mas é aí que surge o problema: muitos líderes não se preocupam em definir e criar esse amanhã.

(...)Em tempos de cortes drásticos, gastar dinheiro com qualquer coisa pode desencadear muito som e fúria. Mas não deixe que esse barulho todo o desanime. Tente romper essa resistência natural e fazer contato com as pessoas. Elas precisam ouvi-lo, de verdade, quando você falar sobre suas ideias e seus projetos futuros. Para vencer o medo, o cinismo e a mágoa reinantes na empresa, o futuro que você descreverá terá de ser empolgante, promissor e factível. Basta ajudar as pessoas a compreender. Se todos se comprometerem e acreditarem em sua ideia, a empresa será diferente um dia - e melhor.

(...) Sabemos, é claro, que as condições atuais são terríveis e compreendemos perfeitamente por que os líderes preferem trabalhar no modo de sobrevivência de curto prazo. No entanto, quando chegar a hora da virada, daqui a um, dois ou três anos, o cenário de negócios será novo e diferente. Haverá menos concorrência e, talvez, mais oportunidades, mas só para aquelas empresas que estiverem preparadas e prontas para ele.

Portanto, lembre-se: inventar o futuro é um aspecto crucial da liderança. Os verdadeiros líderes de 2009 vão aparecer quando esse futuro chegar.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Líder do Futuro


Dias atrás eu fui a uma palestra sobre Liderança, promovida pela Faculdade IBTA junto com a Crescimentum Treinamentos. A palestra foi direcionada principalmente para profissionais de RH que não é o meu caso, mas foi interessante ter um pouco mais de conhecimento sobre Liderança e sobre o que estão dizendo no mercado sobre liderança e sua importância.
Fiz um pequeno resumo sobre os principais tópicos abordados na palestra para que vocês possam entender, assim como eu o que é o Líder do Futuro.

Título da Palestra: Líder do Futuro
Palestrante Arthur Diniz (adiniz@crescimentum.com.br)
Público-alvo: Profissionais de RH.

O palestrante diz que o líder de sucesso é quem assume a responsabilidade do sucesso, que traz convencimento para as pessoas.
Para você ser um líder do futuro, você precisa saber sua missão de vida e tem uma visão do futuro, conhecer a si mesmo. E como fazemos para encontrar nossa missão? Perguntando, você tem que causar impacto como líder.
Diz ainda que para ser um líder, você tem que conhecer a si mesmo e que todos os líderes têm o direito de ter ambição, um plano de vida, uma ambição, um objetivo de futuro, Quanto mais egoísta é sua ambição, menos líder você é! Quanto maior é sua missão mais líder você é!
O quanto você inspira não só sua família, mas, equipe e amigos, vai dizer o quão líder você é!
Quanto mais egoísta é sua ambição, menos líder você é!
Quanto maior é sua missão mais líder você é!
O tipo de pessoa que você quer ser vai dizer o tipo de impacto que você causa e o líder que você é.
O líder conhece a si mesmo, seus valores e vivencia.
Implementar sua visão de futuro sem medo
Nós temos que ajustar as prioridades e fazer acontecer. Saber priorizar.
O líder coach ajuda as pessoas a encontrar o foco. Ele desenvolve pessoas porque quer resultados rápidos.
O equilíbrio traz mais resultados.
A integridade no líder do futuro está em ser exemplo, em tentar o tempo todo, pois o exemplo começa em casa, todos os dias.
O que você ta fazendo como líder para servir as pessoas?
Quanto vai ser sua contribuição?
As três razões principais que pessoas em relação de liderança não atingem resultados:
- Ter objetivos e expectativas incertas do desempenho para líderes (sem objetivo não tem como ter um feedback, e sem feedback você não consegue crescer, um liga o outro, sem um não tem como ter o outro);
- Ser um líder que gasta quantidade de tempo para fazer atividades abaixo de seu nível;
- Ausência de feedback honesto e assertivo;

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Fórum Mundial de Liderança e Alta Performance 2009

É através de equipes em sua mais alta performance que as empresas poderão identificar e aproveitar oportunidades, otimizar os negócios e posicionar-se em um novo patamar competitivo.

Diante deste cenário, a HSM realizará, pela primeira vez no Brasil, o Fórum Mundial de Liderança e Alta Performance 2009, que vai ajudar você a refletir sobre diversas questões essenciais para a alta performance de sua equipe através da excelência em liderança.

O evento acontecerá nos dias 2 e 3 de junho, com os principais especialistas mundiais em liderança: Peter Senge, Jeffrey Pfeffer, David Ulrich, Bill George e Luiz Carlos Cabrera.

Agora é o momento de fazer a diferença! Participe!Inscreva-se agora mesmo! Entre em contato com a Central de Relacionamento com o Cliente da HSM: (11) 4689-6666 e-mail: eventos.br@hsmglobal.com

terça-feira, 12 de maio de 2009

Dica de site no blog Comunica Líder

Como exposto na aula de ontem, segue o link para o site do "Xixi no Banho", criado pelo S.O.S Mata Atlântica. O site superou a criatividade e criou este projeto muito interessante, divertido e com conteúdo! O projeto conta com efeitos visuais bem elaborados, som (uma musiquinha que não sai da cabeça) e com uma explicação bem simples do consumo consciente da água. Vale a pena visitar o site.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Comunicação de Liderança

Uma comunicação eficaz é fundamental para o sucesso de uma organização, de um indivíduo, de uma nação e é necessária para manter a visão da organização claramente focada nos clientes e nos empregados.
Mais do que transmitir a mensagem os líderes precisam praticar a comunicação diária e constantemente com os liderados e fazer com que as pessoas possam relacionar o comportamento do líder com seu discurso.
Uma comunicação de liderança precisa ser vinculada a cultura e aos valores organizacionais. Além disso, deve enfocar a visão, a missão, a transformação e a chamada para a ação, sempre a direcionando a um público específico, com o propósito de estreitar e fortalecer a confiança entre líderes e liderados. Ela requer também um comprometimento pessoal do líder com a mensagem transmitida Assim, evitando as especulações que normalmente geram uma falta de direção.
As pessoas esperam que seus líderes sejam francos e honestos e ao mesmo tempo comuniquem os comportamentos e as direções a seguir. O sucesso de uma organização depende da confiança e do respeito mútuo entre líderes e liderados, e a base é uma comunicação de liderança eficaz.

Dicas para iniciar e manter um processo eficaz de Comunicação de Liderança:
por Marco Antonio Lovizzaro, Diretor-Presidente da PRÓ RECURSOS HUMANOS

- Seja consistente;
- Determine objetivos claros e confiáveis;
- Obtenha o comprometimento dos interlocutores chave;
- Desenvolva, desenvolva, desenvolva o seu pessoal; (é fundamental que você esteja pessoalmente envolvido no processo de desenvolvimento dos seus liderados);
- Faça do processo de feedback uma prática comum;
- Mantenha o comportamento alinhado com as mensagens transmitidas;
- Enfatize a importância da comunicação entre todos os níveis hierárquicos, bem como em todos os sentidos, ou seja de cima para baixo e da base para o topo da organização;
- Esteja pronto para ouvir; a comunicação de liderança não é via de uma única mão, é fundamental que a base tenha confiança e segurança para poder contribuir livremente com idéias, feedbacks, sugestões, mesmo que contrárias as suas.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

AS EMPRESAS PRECISAM AGREGAR FELICIDADE

Cada vez mais os produtos e serviços estão parecidos. O cliente olha para o lado, percebe que existe um mundo de lojas muito semelhantes e fica procurando algo mais que o atraia. Todas as empresas têm buscado uma forma de se diferenciar. Em minha opinião, a maior vantagem competitiva está em agregar felicidade ao seu trabalho, serviço ou produto.Invente um jeito de seu cliente sair feliz depois de fechar um negócio com você. Esse é o melhor parâmetro da boa parceria: ver a alegria do cliente em voltar a comprar de você. Livros existem em muitas livrarias, mas são poucas as que conseguem dar a seus clientes o prazer de um atendimento especial. Todos os médicos sabem receitar remédios, mas são poucos, muito poucos os que transmitem confiança e afeto ao paciente.Uma loja de roupas precisa vender mais do que roupas. É importante que ela saiba vender beleza e elegância. Quando um restaurante simplesmente vende comida, corre o riso de suscitar uma pergunta inevitável: porque uma coxinha de galinha custa o preço de 1 quilo de frango? O restaurante deve vender encontros, amizades, paquera, informação etc.Sob essa nova ótica, fica claro que apenas dinheiro ou tecnologia não são mais suficientes. As empresas campeãs vendem produtos e serviços, mas também entregam a felicidade como bônus. Junto com o serviço, oferecem confiança, prazer em servir e certeza de qualidade.“Mas, Roberto, como eu crio felicidade em meus negócios?” A primeira medida é promover a felicidade de seus colaboradores, que vão tratar seus clientes da mesma maneira como são tratados. Certamente, em meio à pressão, pode parecer quase impossível que as pessoas sejam felizes. Mas você pode ver profissionais felizes em lugares de alta pressão, como pronto-socorro e Corpo de Bombeiros. A chave para isso é envolvê-los em projetos e decisões, ajudando cada um a se sentir importante para a organização.A segunda medida é atrair os clientes para sua empresa. Convide-os para participar de seus projetos, estimule-os a opinar, escute suas sugestões e você vai saber o que realmente importa para eles. Mas, principalmente, seja você um exemplo de profissional que trabalha por amor ao que faz, e tem prazer de estar na empresa. Sua energia de líder vai contaminar os outros.Sucesso é não perder a oportunidade de fazer alguém feliz. E, por incrível que pareça, hoje é a melhor forma de ganhar dinheiro.


Roberto Shinyashiki é psiquiatra, palestrante e autor de 14 títulos, entre eles: Sempre em Frente; Os Segredos dos Campeões, Tudo ou Nada, Heróis de Verdade, Amar Pode Dar Certo, O Sucesso é Ser Feliz e A Carícia Essencial (www.clubedoscampeoes.com.br).

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Liderança é fundamental para o sucesso

O Programa de Roberto Justus “O Aprendiz – Universitário” mostra o papel de liderança em todos os seus episódios. A cada tarefa que os universitários são submetidos a equipe deve escolher a figura de um líder, e esse líder vai tomar as decisões e decidir qual melhor forma de agir em cada tarefa.

Roberto Justus sempre faz questão de frisar a importância de um líder e como é importante que as pessoas tenham essa qualidade. Podemos usar como exemplo o episódio em que os participantes tiveram que produzir uma matéria jornalística de três minutos sobre o programa de fidelidade da TAM. Os candidatos ganharam o prazo de quatro dias para fazer as entrevistas, captar as imagens e editar o vídeo depois de receberem o briefing da empresa sobre o que deveria ser abordado.

Como em todos os programas, a equipe perdedora da tarefa vai para a sala de reunião com Justus onde alguém sempre é demitido, na sala de reunião nessa tarefa o participante Pedro foi acusado como o principal culpado pela derrota, inclusive por ter feito uma péssima apresentação, errando nomes dos jurados, usando o microfone inadequadamente e não citando coisas importantes para a apresentação da matéria jornalística, Pedro foi demitido pois sua liderança foi prejudicial ao grupo e determinante para o péssimo resultado da equipe.

Fica aqui a impotância de termos sempre uma pessoa à frente no trabalho, mas que seja uma pessoa certa para que não nos levem a derrota. Nós do Blog vamos continuar acompanhando o Programa “O Aprendiz – Universitário” e principalmente prestando atenção às lideranças de todas as tarefas.